Vender uma empresa sozinho ou contratar um consultor?

28.01.2020

 

 

 

 

 

Vender o seu negócio é um grande desafio. Ainda mais para o segmento de pequenas e médias empresas (pme), no qual o mercado não é organizado e estruturado. 

 

Devo usar um intermediador para vender minha empresa? Essa é uma dúvida que todo empresário possui quando decide vender uma empresa. 

 

O processo, além de levar um tempo, exige uma série de etapas que, no mínimo, é aconselhável contratar um advogado e um contador competente para auxiliá-lo durante o processo de venda. Porém, há uma decisão a ser tomada em torno de conscontratar um consultor de negócios gerais, também conhecido como corretor, intermediador ou banqueiro de investimentos. Esses são os rótulos para a mesma coisa: é alguém que abrange o processo de venda,da negociação,  fornecendo serviços que ajudam você a concluir uma transação. Embora existam categorias amplas, não há dois intermediários iguais. Alguns executam processos muito rigorosos, semelhantes a um leilão aberto, enquanto outros são altamente seletivos para quem compram um acordo. Alguns fornecem anos de consultoria para preparar um negócio para uma venda, enquanto outros são apenas brevemente envolvidos. Alguns preparam todos os seus materiais, funcionam como a equipe administrativa do seu negócio, negociam sua transação e lideram a diligência. Outros apenas cobram uma taxa para criar o mercado, reunindo compradores e vendedores.

 

Avalie o que você precisa e quem pode fornecê-lo. Finalmente, alguém tem que fazer o trabalho, e é muito aconselhável que não seja o empresário ou o dono da empresa.  Haverá uma quantidade sem fim de dados a serem produzidos e decisões a serem tomadas, que dependem da experiência. 

 

Faça as seguintes perguntas:

 

 

- Quem irá encontrar compradores em potencial, examiná-los, classificá-los com base na viabilidade e organizar chamadas telefônicas e visitas na empresa? 

 

- Quem vai reunir e organizar a história completa da minha empresa? Isso inclui dados financeiros detalhados que remontam a pelo menos uma década, contratos com clientes, contratos com fornecedores, acordos de emprego, ações legais (ameaçadas ou pressionadas) e contratos imobiliários.

 

- Quem negociará o acordo, incluindo as decisões de negócios para a carta de intenções, a devida diligência e a documentação final?

 

- Quem vai me manter emocionalmente sob controle durante o processo cansativo? Quem se concentrará na transação e promoverá o acordo proativamente do meu lado da mesa? 

 

Reflita um pouco sobre essas questões e tome a decisão correta.

 

Voce pode contratar um consultor para a sua empresa aqui. www.invoop.com

 

 

Artigo retirado da Axial Investments e traduzido para o português

Please reload

 POSTS recentes: 
Please reload

 procurar por TAGS: 

© 2016 by Invoop. 

 

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram Social Icon